CHRISTUS BABY

2012



Crie glitters aqui!


A cada dia de nossa vida, aprendemos com nossos erros ou nossas vitórias, o importante é saber que todos os dias vivemos algo novo. Que o novo ano que se inicia, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus FELIZ 2012!!!
"Um excelente educador não é um ser humano perfeito, mas alguém que tem serenidade para se esvaziar e sensibilidade para aprender" (Augusto Cury)

*♥*´¯`*.¸¸.*´¯`**♥*´¯`*.¸¸.*´¯`**♥*´¯`*.¸¸.*´¯`**♥*´¯`*.¸¸.*´¯`*

É Brincando que se adquiri conhecimento!

BLOG - Cristiângela Ribeiro Soares

ESTADOS E CIDADES ONLINE NO MOMENTO


free stats

Christus Baby

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

APAGANDO VELINHAS EM FEVEREIRO !!!!


ALUNOS DO INFANTIL IV

Beijossss das tias Mary e Anália

Brigas da criança são frequentes..



Crianças que briga muito


Os pequenos e as crianças de idade pré-escolar com frequência brigam pelos brinquedos.


O que se deve fazer com as crianças brigonas

- A intervenção precoce é muito mais efetiva.

Não espere que a criança comece a mostrar comportamento mais agressivo.

Intervenha logo que observar que a criança se sinta frustrada ou que esteja se alterando com facilidade.

- Quando as crianças pequenas brigam com frequência, supervisem-nas mais de perto.

- Se uma criança bate em outra criança, de imediato separe os dois.

Logo trate de consolar e atender a criança que foi agredida.

- Ao bebê que começa a andar (1 a 2 anos), diga-lhe: “Não bata. Dói quando você bate”.

- À criança pequena (de 2 a 3 anos), diga-lhe: “Eu sei que você tem coragem, mas não bata”. Isso começa a ensiná-la a empatia com as outras crianças.

- Não bata na criança se ela está batendo em outras. Isso a ensinará a utilizar um comportamento agressivo.

- Os pais não devem ignorar ou menosprezar as brigas entre irmãos.

- Ensine-os que a agressão não é a forma correta para conseguir o que se quer.

Por exemplo: imaginemos o caso de dois meninos, um de 6 e outro de 4 anos de idade.

O maior está jogando bola até que o menor aparece para tirá-la. E ali iniciam-se as brigas e gritos.

O pequeno grita e esperneia porque quer a bola. Se intervirmos, exigindo que o maior conceda a bola ao mais pequeno, estaremos reforçando de uma maneira negativa, que o pequeno sempre esperneie e grite para conseguir o que se quer.



http://br.guiainfantil.com/

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

INFANTIL IV -TIA CARLA











INFANTIL IV - TIA MARYLEIKA TEMA- looney tunes baby





















INFANTIL III







terça-feira, 26 de janeiro de 2010

INFANTIL II- TEMA TURMA DO POOH


Professoras Janaina e Samara
















ORNAMENTAÇÃO
Mário César Chaves
99978805 / 94496038
Piripiri Piauí

SEJAM BEM VINDOS





SEJAM BEM VINDOS!!!!!





SEMANA PEDAGOGICA CHRISTUS 2010

21 A 23 DE JANEIRO


Dona Maria do Carmo abre a Semana Pedagogica


Ana Paula
Colegio Ari de Sá de Fortaleza -Ceará


Anne Heraclea
Psicologa

Ana Paula
Consultora
Fortaleza Ceará
Tema
Adptação Escolar na Educação Infantil



COMO SABER SE O CHORO DA CRIANÇA É POR QUE NÃO QUER FICAR REALMENTE NA ESCOLA?

O choro é natural, mas os pais devem ficar atentos as reações de seus filhos, dando-lhes apoio e conforto nesse período de tantas mudanças.

ALGUMAS DICAS SOBRE OS COMPORTAMENTOS QUE OS PAIS COSTUMAM TER E QUE DEVEM SER EVITADOS PARA NÃO ATRAPALHAR A CRIANÇA NA FASE DE ADAPTAÇÃO ESCOLAR?

- Sair da sala de aula ou do ambiente da escola sem uma despedida prévia.

-
- Querer trazer toda a rotina de casa para a escola, como por exemplo: conversar com a professora na frente da criança dizendo tudo o que ela gosta e não gosta, o que come e não come...


LEVAR BRINQUEDOS E OBJETOS DE USO PESSOAL DA CRIANÇA PARA A ESCOLA AJUDAM A DIMINUIR AS SAUDADES DE CASA?

Nessa fase de adaptação sim.
Desde que a família não exagere mandando coisas demais para a escola.
Um brinquedo ou objeto especial para a criança pode sim servir como referência para que ela compreenda que nem tudo neste novo ambiente é estranho.
Esse é um recurso que pode proporcionar as crianças de bem estar
Depois caba a professora e mudando a rotina na 3 semana de adaptação

QUANTO TEMPO A CRIANÇA DEVE SER ACOMPANHADA POR FAMILIARES OU RESPONSÁVEIS NA ESCOLA?

Esse é um processo bem particular de cada criança.
O recomendável é que esse acompanhamento da família junto a criança, se dê com uma presença mais prolongada na primeira semana de aula.
COMO A FAMÍLIA PODE AJUDAR A CRIANÇA A PASSAR PELA ADAPTAÇÃO ESCOLAR?

Diminuindo o nível de ansiedade da criança, conversando com ela, falando sobre a escola e sobre as situações que podem acontecer nessa nova rotina.
Os pais podem acalmar a criança, estimulando-a com comentários do tipo: “você vai ter muitos amiguinhos”, “vai poder brincar”;









Isabel Cristina
Consutora da Editora ática
Teresina

Tema
Problemas de Aprendizagem



Como identificar os problemas na aprendizagem

Uma criança com problemas de aprendizagem, pode ter um nível normal de inteligência, de acuidade visual e auditiva.
É uma criança que se esforça em seguir as instruções, em concentrar-se, e portar-se bem em sua casa e na escola.
Sua dificuldade está em captar, processar e dominar as tarefas e informações, e logo a desenvolvê-las posteriormente.
A criança com esse problema não pode fazer o que outros com o mesmo nível de inteligência podem conseguir.

A criança com problemas específicos de aprendizagem tem padrões pouco usuais em perceber as coisas no ambiente externo. Seus padrões neurológicos são diferentes das outras crianças da mesma idade. No entanto, têm em comum algum tipo de fracasso na escola ou em sua comunidade.

Características dos problemas de aprendizagem

As crianças que têm problemas de aprendizagem, com frequência apresentam, segundo a lista obtida do “When Learning is a Problem/LDA (Learning Disabilities Association of America)”, características e/ou deficiências em:

Leitura (visão)

A criança se aproxima muito do livro; diz palavras em voz alta; assina, substitui, omite e inverte as palavras; vê duplicado, pula e lê a mesma linha duas vezes; não lê com fluidez; tem pouca compreensão na leitura oral; omite consoantes finais na leitura oral; pestaneja em excesso; fica vesgo ao ler; tende a esfregar os olhos e queixar-se de que coçam; apresentam problemas de limitação visual, soletração pobre, entre outras.

Escrita

A criança inverte e troca letras maiúsculas; não deixa espaço entre palavras e não escreve em cima das linhas; pega o lápis desajeitado e não tem definido se é destro ou canhoto; move e coloca o papel de maneira incorreta; trata de escrever com o dedo; tem o pensamento pouco organizado e uma postura pobre, etc.

Auditivo e verbal

A criança apresenta apatia, resfriado, alergia e/ou asma com frequência; pronuncia mal as palavras; respira pela boca, queixa-se de problemas do ouvido; sente-se enjoado; fica branco quando lhe falam; depende de outros visualmente e observa o professor de perto; não pode seguir mais de uma instrução por vez; põe a televisão e o rádio em volume muito alto, etc.


http://br.guiainfantil.com/aprendizagem/101-problemas-de-aprendizagem-das-criancas.html

Maria do Carmo
Diretora




Anne Heraclea
Psicologa



Depressão Infantil


O Transtorno Depressivo Infantil é um transtorno do humor capaz de comprometer o desenvolvimento da criança ou do adolescente e interferir com seu processo de maturidade psicológica e social.
São diferentes as manifestações da depressão infantil e dos adultos, possivelmente devido ao processo de desenvolvimento que existem na infância e adolescência.

Eliene Melo
Pedagoga
Teresina
Tema

Como trabalhar a inclusão de crianças com dificuldades de aprendizagem


Pesquisas revelam que a maioria dessas crianças que apresentam dificuldades são meninos, que excedem as meninas em aproximadamente sete por um.
Até o momento, não há nenhuma explicação para tal proporção.
A maioria das dificuldades de aprendizado causa problemas com soletração ou linguagem escritas e outras com matemática.

Devemos ter em mente que a criança com dificuldade de aprendizagem é normal sob quase todos os aspectos.
Nosso trabalho é enfatizar o máximo aquilo que é “normal” e ajudar a criança a descobrir seu potencial pleno.
A compreensão do processo de aprendizado e a adaptação de atividade apropriada ajudarão a alçarmos tal objetivo, não apenas com crianças com problemas de aprendizagem, mas com todas as crianças.


• Jogos e materiais educacionais variados e adequados ao nível de desenvolvimento da criança;
• Em pequenos grupos em sala, trabalhe de forma diversificada, com atividades diferenciadas;
• Elogie cada avanço da criança (estudos revelam que auto-estima é fator fundamental neste processo);
• Procure detectar quais as reais necessidades do grupo e trabalhe em cima disto;
• Vivencie com seus alunos todos os momentos em sala, é fundamental que o professor participe das atividades;
• Chame a família na escola, mostre a importância do acompanhamento escolar do filho;
• Monte sempre atividades atraentes e significativas. Lembre-se: seus alunos necessitam aprender de forma diferente
http://www.via6.com/topico.php?tid=173756